31 de julho de 2003   —   04:12:37
Vou dedicar alguns minutos para contar as novidades e as coisas que virão nos próximos dias.

Ando tendo provas, provas e mais provas na faculdade. Passo os dias estudando, tentando salvar as cadeiras que ainda der pra salvar, já que meu rendimento na faculdade anda beeeeem diferente dos meus tempos de colégio.

O maior problema são alguns professores carrascos, que estão interessados em reprovar mais de 90% da turma. Não sei o que se passa na cabeça desses imbecis, que fazem questão de ensinar mal e/ou passar provas com intenção de lascar os alunos, que vêem o rendimento baixo de uma massacrante maioria e não param pra enxergar que a própria aula é uma merda.

Agora nesses dias não estou podendo sair. Ontem mesmo contei com o maravilhoso telefonema dos meus amigos Igor e Jacques, dizendo nada com coisa nenhuma, rindo e frescando. Já eu, do outro lado da linha, tentava entender o que eles diziam, mas só tinha cabeça para as bases, subespaços, vetores e matrizes, que haviam levado meu bom humor.

Agora vou me dar ao luxo de dormir um pouco, afinal com sono e muita dor de cabeça ninguém estuda. Aí mais tarde entro pela madrugada…

Me dê aqui um abraço

26 de julho de 2003   —   02:31:39
Há uns meses venho reparando em algumas coisas:

As pessoas no elevador sempre tão olhando pra cima, pra baixo, só não olham pros lados. Elas têm medo de ter algum contato social.

As pessoas nos ônibus nunca sentam ao lado de outras se têm um banco vazio. Fora o medo de serem assaltadas, elas têm medo de ter algum contato social.

Algumas pessoas têm medo de retribuir a um abraço. Você vai de braços abertos em direção a elas, e elas ficam paradas. Aí você tenta disfarçar e fica na merda. Algumas acham que abraço é sinal de segundas intenções ou algo do gênero, e preferem não retribuir ao abraço. Mando aqui meu abraço pra Natalia, que sabe dar um abraço reconfortante. E mando um abraço pro Igor também, que em 2000 fez a campanha “Me dê aqui um abraço”, em favor da popularização do abraço.

O beijo no rosto na hora de cumprimentar alguém mais parece beijo na orelha. Você só sabe que o beijo existiu porque escutou o barulho dele. De todas as amigas que tenho, poucas as que realmente dão um beijo no rosto. Quando conheci a Aninha que ela me cumprimentou, a primeira coisa que reparei é que ela realmente beija o rosto, e isso faz a diferença.

Pra vocês que me lêem, um abraço e um beijo. Sem segundas intenções, antes que alguém fique com medo e não retribua…

Madrugada de 23 para 24 de julho.

24 de julho de 2003   —   05:12:41

Eu podia estar dormindo.
Eu podia estar no show do Kid Abelha.

MAS EU TÔ VIRANDO A NOITE,
ESTUDANDO ÁLGEBRA LINEAR!

Eu contra a Álgebra Linear

owned1.jpg
?

O homem que copiava

22 de julho de 2003   —   12:48:49

Sexta-feira (ops! é terça já!) assisti a O Homem Que Copiava. MUITO bom, recomendo! Ótimos atores, ótima história… Faltavam coisas criativas assim no cinema nacional.

(desculpem o post curto, daqui a umas horas tenho aula. =\ )

Nojento!

   —   02:39:33

Estava fazendo um desses testes inúteis que vi num site, e olha só “quem eu sou nos Trapalhões”: