Batman: O Cavaleiro das Trevas

18 de fevereiro de 2012   —   00:13:26

Antes que alguém confunda com o filme de mesmo nome, o título acima é o título brasileiro para Batman: The Dark Knight Returns. É uma história do Batman escrita e desenhada por Frank Miller – que também fez Sin City e 300, que acabaram bem conhecidas no cinema – e foi publicada originalmente em 1986 como uma minissérie de quatro edições. No Brasil, a editora Abril publicou em 1987 e relançou em 1997 (salvo engano), também tendo edições encadernadas posteriores pela Abril e Panini.

Aos onze ou doze anos, li pela primeira vez a minissérie. De lá pra cá, tropecei várias vezes na obra enquanto fuçava meu guarda-roupa (o fato de me mudar duas vezes me obrigou a dar aos quadrinhos um lugar menos favorecido que as prateleiras) e, a cada releitura, a obra é cada vez mais apreciada. Hoje tive a chance de lê-la mais uma vez.

Apesar de ter largado os quadrinhos há muito tempo, ali por 2000, e ter tentado retomá-los sem sucesso na faculdade (era difícil comprar quadrinhos com pagamento de bolsista ou estagiário, já falei disso aqui antes), venho olhando para as HQs com saudade há tempos. Comprei alguns livros na Amazon há uns dias e aproveitei para comprar uma edição encadernada dessa história foda do Batman e também os quadrinhos de V for Vendetta – que ficarão para outro texto.

Um pequeno resumo do enredo, sem spoilers, seria dizer que, após dez anos sem vestir o uniforme de Batman, um Bruce Wayne de mais de cinquenta anos decide voltar a agir ao ver Gotham City caótica e violenta. Ao mesmo tempo que acompanhamos o Batman, podemos ver diversas outras partes da trama em passagens rápidas: a repercussão do Batman na imprensa, na política, nas pessoas, nos criminosos. É um roteiro mais maduro e elaborado.

Os vilões mais conhecidos estão lá: temos o Duas Caras, agora com um rosto normal graças aos avanços em cirurgia plástica, e o Coringa. A Mulher-Gato se aposentou e agora é dona de uma agência de acompanhantes. Os heróis estão todos aposentados, mas durante alguns trechos da história temos até mesmo o Super-Homem, que agora é um agente do governo, e mesmo uma breve participação do Arqueiro Verde.

A história cita alguns elementos do universo do Batman e da DC Comics que podem não ser conhecidos para outros leitores: o uniforme de Jason Todd, o segundo Robin (assassinado pelo Coringa), está na Batcaverna e Jason tem uma breve citação na história; Jimmy Olsen, colega de Clark Kent (o Super-Homem) no Planeta Diário, também é citado; Lana Lang, também personagem e repórter nas histórias do Super-Homem, ressurge mais velha e obesa na TV. Todos esses elementos, porém, não atrapalham o entendimento da história.

Tudo isso é mostrado na forma cinematográfica que Frank Miller sabe fazer muito bem. Quem assistiu Sin City 300 e conhece os quadrinhos desses títulos sabe como tudo ali estava bem mastigado e no ponto de ser jogado na tela. The Dark Knight Returns usa a mesma fórmula: ao reler a história mais uma vez, não pude não ter a sensação de assistir uma série de TV. Tudo é muito dinâmico. Não é à toa que essa graphic novel é cultuada há 25 anos.

Se você se interessar por O Cavaleiro das Trevas, você tem duas opções: a versão em inglês (encadernada ou não) ou a versão brasileira, encadernada. Recomendo a versão em inglês, apesar da demora da entrega o preço sai menos salgado com os fretes mais baratos.