GVT: uma armadilha

10 de fevereiro de 2013   —   10:49:17

Esse é um texto um pouco técnico e um pouco estressado. Se quiser algo leve, melhor ler outra coisa. Ah, e não assine GVT.

Eu tinha Oi Velox em casa. Nem de longe obedecia a velocidade assinada, mas funcionava o dia todo. Meus amigos sempre me diziam que eu era maluco, que eu devia assinar GVT, que era muito mais rápido e por aí vai.

gvt_logo

Acabou que assinei a tal da GVT. Tudo muito tranquilo: cliquei no botão do site para que me ligassem e me ligaram na hora. Falei que ia analisar a proposta e pedi um tempo. Me ligaram alguns dias depois e agendei a vinda do técnico para instalação para o dia de 30 de janeiro, uma quarta-feira. Tudo muito fácil e organizado.

No dia marcado (30 de janeiro) o técnico veio e instalou tudo do meu plano: internet, telefone fixo e TV por assinatura. A única ressalva foi que eu havia assinado a internet com velocidade de 15Mbps e ele disse que tinha que mudar meu plano para 10Mbps, pois a área não garantia a entrega de 15Mbps. Tudo bem, legal a informação e a transparência, fiquei feliz.

O técnico saiu daqui no dia 30, às 18:00, e tudo funcionava. Por algum milagre matemático, os 10Mb da GVT são muito superiores aos 10Mb do Oi Velox. A imagem da TV por assinatura da GVT é muito boa. Tudo estava ótimo… nas 4 horas em que funcionou.

Às 22h do mesmo dia em que a GVT foi instalada, tudo parou de funcionar.

No dia seguinte, comecei um inferno de ligações ao suporte da GVT. Em cada ligação, levava pelo menos 10 minutos para conseguir falar com um atendente humano. Foram pelo menos doze ligações em dois dias. Muitos menus com opções, muita musiquinha e gravações oferecendo power-combo e perguntando se eu já tinha reiniciado o modem, o que fiz pelo menos dez vezes. Minha gravação favorita é a que fala que o técnico vai na sua casa e deixa tudo funcionando!

Na quinta e sexta-feira, dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, eu dei pelo menos 13 ligações para a GVT para conseguir um técnico, num total de mais de 3h de ligações. Os atendentes falavam que eu estava ligando do trabalho mas eu precisava estar em casa olhando pro modem (afinal eu não tenho mais o que fazer) pra fazer os mesmos testes que os atendentes anteriores tinham me orientado, ou as ligações simplesmente caíam após uma longa espera. Isso quando não me transferiam dum setor A para um setor B, e do B de volta pro A, a cada setor eu repetia o CPF do titular e falavam que não, que meu protocolo de instalação ainda estava em aberto e para eu aguardar, que não constava não-sei-o-quê no cadastro e por aí vai.

Na sexta-feira, cerca de 19:00, o técnico que instalou a GVT aqui reapareceu, conferiu tudo e disse que teria que retornar no dia seguinte pois não tinha como fazer o procedimento que deveria fazer naquele horário. Aparentemente o problema era na central, e no sábado de manhã, 2 de fevereiro, a internet e TV voltaram a funcionar.

Mais ou menos.

Começou outro inferno: a conexão instável da GVT. É impossível passar 24h sem enfrentar um período de lentidão ou queda de conexão. As luzes do modem estão lá, acesas. Tudo parece OK. Mas não aparece nada na TV e você não abre site algum, por falhas de DNS. A solução: desligar o modem — onde inclusive fica ligado o decodificador da TV — e ligar de novo.

Se fosse algo que acontecesse uma vez a cada muitos dias, seria OK. Mas diariamente, uma ou mais vezes por dia, eu preciso reiniciar o modem da GVT para que minha internet e minha TV funcionem com dignidade. Num dos dias ainda tive um problema com o telefone fixo, que passou três horas sem completar ligações, apenas recebendo.

Liguei para a GVT na quinta-feira, dia 7 de fevereiro, para verificar esse problema. Enviaram mais um técnico para minha casa na sexta-feira, me deram alguma explicação esotérica envolvendo problemas em cabos ou centrais ou não-sei-o-quê e, no fim das contas, tudo continua sem funcionar direito.

Usei meus poderes de programador e fiz um pequeno programa para Linux e Mac OS que, a cada 10 minutos, verifica o status da minha conexão da GVT. É um programinha simples: ele tenta acessar um site, como eu faria pra verificar se minha conexão está funcionando, e registra em um arquivo se conseguiu ou não.

Hoje, por exemplo, minha conexão apresentou instabilidade até 5 da manhã, passou pouco mais de uma hora engasgando e a partir de 6 e meia não funcionou MESMO. O “Exit code: 6” significa que meu programa não conseguiu abrir o site que mando ele abrir, pois a conexão está ruim. Os horários estão à esquerda:

2013-02-10 05:00:01 [ONLINE] 177.42.160.137
2013-02-10 05:10:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 05:20:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 05:30:01 [ONLINE] 177.42.160.137
2013-02-10 05:40:01 [OFFLINE] Exit code: 56
2013-02-10 05:50:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 06:00:01 [ONLINE] 177.42.160.137
2013-02-10 06:10:01 [ONLINE] 177.42.160.137
2013-02-10 06:20:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 06:30:01 [ONLINE] 177.42.160.137
2013-02-10 06:40:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 06:50:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 07:00:01 [OFFLINE] Exit code: 6
2013-02-10 07:10:01 [OFFLINE] Exit code: 6
...
(a partir daqui a saída de erro se repetiu até eu reiniciar o modem.)

Eu não consigo achar normal essa coisa de reiniciar o modem todo dia. Minha mãe não consegue aceitar, com toda razão, que a TV dela pare de funcionar do nada e precise reiniciar o modem para tudo voltar ao normal. Ela não é maluca por tecnologia, ela só quer as coisas funcionando de forma transparente, sem precisar saber de procedimentos obscuros e constantes de reinicialização de modems. Sugiro aos técnicos da GVT que testem esse procedimento diariamente com a mãe deles antes de (des)orientar a minha.

O ponto é que a GVT é muito rápida para você assinar o plano deles, mas esquece de você depois que você assina. Botão no site pro suporte te ligar não tem, não é? E o suporte simplesmente é ineficaz e burocrático. Estou com esse problema de queda de conexão há mais de uma semana, e não tem visita de técnico que resolva. Cadê o técnico que deixa “tudo funcionando”?

Não estou sozinho na armadilha da GVT e sinto saudades do meu Oi Velox: era mais lento mas funcionava. Melhor 50% de 10MB que 100% de nada, que é o que a GVT me entrega. Eventualmente, quando minha paciência esgotar, voltarei para a Oi ou procurarei outra operadora. Já falei com a Anatel, que me esclareceu: se o serviço não funciona como deveria, você não precisa pagar multa de fidelidade se quiser cancelar o plano.

A GVT, anunciada por alguns como a salvação da internet banda larga, é só mais uma operadora no mercado que desrespeita o consumidor. Meu conselho, se você pensa em assiná-la, é: FUJA.