27 de October de 2004   —   11:36:08
Sobre pessoas-que-vão-embora e minha relação de amor e ódio com argentinos

No fim do ano passado, conheci a Lucía. Lucía era gente boa, teria talvez se tornado uma de minhas melhores amigas se eu não tivesse conhecido ela pouco mais de 2 meses antes dela ir embora de Fortaleza e voltar pra Argentina. Dela ouvi palavras agradáveis que não tinha pedido pra ouvir, que nem precisava ouvir e que me servem de ajuda quando preciso de apoio.

Há uns meses atrás, conheci a Andrea. Coincidência ou não, argentina também. Na verdade a conheci ano passado, mas só fui ter contato com ela meses atrás. E falava de sentimentos como vejo pouquíssima gente falar. Gente boa… Mas parece que vai embora no começo do ano que vem.

Em abril, escrevi um post sobre coisas que eu havia aprendido. Uma menina que nem conhecia comentou. Por coincidência, acabei conhecendo ela num dos sábados à noite e ela assiste aulas na mesma faculdade que eu. E foi assim que conheci a Larissa. O problema é que em algum dia do ano que vem ela tá saindo de Fortaleza também…

E dia desses deixaram um comentário no meu fotolog. Visitei o fotolog e o blog da menina, acabei descobrindo que era a irmã da Andrea, Giuliana (e que ela tem bom gosto, parece que gosta de Travis).

Aí me veio à cabeça como eu estava me aproximando de pessoas que iam embora. A gente se apega a algumas amizades, amanhã elas vão embora literalmente e lá estou eu sentindo saudades. Eu costumo encontrar dezenas de conhecidos pelas ruas; quando me despedi da Lucía no aeroporto, olhei pruma calçada e pensei: “Eu não vou poder mais encontrar a Lucía por acaso no meio da rua”. Alguém vai achar imbecil, mas isso me atingiu.

E o que eu faço? Reduzo minhas relações com as pessoas que vão embora a oi-tudo bem-tchau? Dou um tchauzinho e vou embora? Ou encaro isso de frente e depois pago o preço?

Meu coração que me perdoe… Eu escolhi o caminho mais difícil.

  1. andrea says:

    ai ai =/// que vida cu, como eu digo.eu já postei várias vezes sobre a tortura, loucura ue vai ser ir embora de Fortaleza. Do tanto que eu quero, mas não quero de jeito nenhum.na verdade, não muitas. mas a ultima foi foda.as pessoas.Tudo por pode ser uma merda, mas ainda restam as pessoas, não é ? é. e eu sou uma, mas ainda tem muitas pra voce encontrar. talvez com o casamento voce possa fixar alguem do seu lado. heh?!viva forever.nao se preocupe,it´ll live forever.

  2. larissa c says:

    aww é bom mesmo viu não ficar só no oi-tchau! =]as pessoas vem e vão – mas na verdade elas só "vão" mesmo se a gente deixar isso acontecer… Claro, não é a mesma coisa, mas hoje em dia tem msn, tem email, tem blog, tem fotolog & etc – não tem pq perder o contato…A saudade depois de tempo e companhia bem aproveitados é muito triste, mas doce, muito doce =]

  3. Danny Husk says:

    tá todo mundo indo embora de fortaleza. meus melhores amigos estão distantes de mim alguns milhares de quilômetros. mas tudo é meio como a música do milton mesmo, "encontros e despedidas". o bom é não deixar de conhecer gente nova e legal que vai fazer falta depois, mas tá sempre acrescentando algo em nossa vida.

  4. caroline says:

    pq o coração sempre quer o humanamente impossivel de suportar? e a dor da perda…é inevitavel…e sempre se repete inumeras vezes…essas dores sentidas…esses sofrimentos…nao gosto de nada disso…mas quem gosta né?!=*****************************

  5. oooooooooooooooo eu to ocm saudade sde te! aliasde vcsssssssss!vonatde de fériasssssssssss!!!!!!!=/

  6. Karoru-chan says:

    Complicada essa situação, cara, mas num mundo como esse o que não é? Escolher o caminho mais fácil ou díficil? Sei que é meio clichê, meio brega e tudo mais, mas la vai aquela velha e manjada frase "siga seu coração!" Arrisque! Todas essas pessoas que vc conheceu, mesmo que tenham ido embora não te deixaram boas lembranças? Então! Força!Um Abraço!

  7. Luiz Alfredo says:

    Tenho pensado muito nisso tb… Há uma chance de eu passar no ITA no final do ano, e eu sinceramente espero que aconteça. Mas toda vez que penso nisso vem a dor de saber que vai demorar muito tempo pra rever alguns amigos, que não vou mais esbarrar em ti, na aline ou na raquel por aí (apenas pra citar alguns)… Alguns dizem que as pessoas passam, e que vou conhecer muita gente em SP. Com certeza irei conhecer muita gente, mas amigos são insubstituíveis, cada um deles é especial à sua maneira e contribui pra algo em nossa vida… =/Tow com extrema falta de tempo pra visitar blogs, mas o seu é sempre excelente. Quando visito leio todos os posts, vou tentar ser mais presentes nesses comments…Um Abraço Esdras. o/

  8. Rebeca says:

    nem me lembre q ela vai, nem me lembre q ela vai.

  9. Perpétua says:

    só te digo uma coisa Esdras…num faz isso não!amizade é amizade à mil km de distância ou não…tu sabe o q a Lu significa pra mim…e tu sabe tb o q eu pra ela…a gente briga, mas sempre q eu ´reciso qm tá do meu lado? uma vez eu escutei um professor amigo me falar q o melhor amigo dele era argentino e q morava lá…que eles se conheceram no colegial…e ele falou isso olhando pra mim e pra Lu…eu desabei… eu posso não ter certeza de qnd eu vou ver a Luci, mas eu tenho certeza de q ela sepre ta pensando em mim e sempre vai estar qnd eu precisar…pq é assim…eu sei tb td isso eu faria em relação a ela… imagina se eu tivesse evitado a Lu…ou tu até…o qnt a gente ia ter deixado de aprender e passar… e a Andrea…porra cara…ela é muito gente-maravilhosa…e ctz ela vai estar sempre pra gente aqui… eu hein…esses argentinos que aparecem na nossa vida…so pra gente amar e depois sentir saudade! :Pmas tenha certeza q com ou sem argentinos eu to aqui

  10. lud says:

    pior do q sentir saudade, é nao ter de quem senti-la

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.