Eu odeio o North Shopping

24 de dezembro de 2007   —   00:56:28
Uma amiga minha definiu o North Shopping, certa vez, como “o maior puxadinho de Fortaleza”. A verdade é que desde que o shopping foi construído ele já passou por tantas reformas, feitas de maneira caótica, que elas acabaram por tornar impossível transitar no shopping (exceto, talvez, se você andar por ele todo dia). Quase não consegui sair de lá na sexta, o shopping parece uma grande armadilha.

Fui pesquisar meu próprio presente de Natal por lá. Entrei na frente do shopping, peguei uma das entradas do estacionamento e acabei indo parar no E4, um estacionamento no alto do shopping alcançado após subir 9 ladeiras de carro. Após a pesquisa, começa a jornada para voltar ao automóvel.

Quando me dirijo a um dos caixas para pagar o tíquete do estacionamento, no valor de R$ 3, descubro que só tinha R$ 2 na carteira. Se você nunca passou por isso, ainda vai passar. Fui sacar dinheiro no caixa do Banco do Brasil, que tinha uma fila enorme, e a todo momento chegavam idosos ou mulheres com crianças de colo e passavam na frente. Mas enfim, saquei alguns trocados e fui pagar meu tíquete.

O elevador só ia até o E3. Achei estranho, mas acreditei que chegando no E3 teria algum acesso pro E4. Pago o tíquete, olho pros lados e reparo que não há escada, ladeira, elevador, nada. Pergunto pra moça dos tíquetes como chego no E4. Ela responde dizendo que tenho que voltar pelo elevador que vim, ir para o segundo piso e pegar o elevador ao lado da Riachuelo. Absurdo: o shopping tem partes que não se ligam, a não ser por andares inferiores.

Tento pegar o elevador para o segundo piso. Aperto o botão e… nada. A porta não fecha, e assim o elevador não desce. Tive que trocar de elevador. Chego ao segundo piso, corro para o elevador ao lado da Riachuelo. Sinto um alívio quando vejo o botão E4. Aperto o botão e… o botão não acende. Torno a apertar, cada vez mais irritado. O elevador sobe pro E5. Continuo apertando o E4… mesmo sem o botão acender, o elevador para no E4.

Fiquei esperando aparecer o Sérgio Mallandro dizendo “Rá! Pegadinha do Mallandro!”, mas não aconteceu, não era pegadinha. Entrei no carro aliviadíssimo, desço novamente 9 ladeiras e vejo a luz do sol vindo de fora do estacionamento. Nunca fiquei tão emocionado em ver a avenida Bezerra de Menezes.

  1. Cocota disse:

    se eu deixar um comentário? Vc aparece?

  2. Aquariana disse:

    Ráaaaaaaaaaaa, pegadinha do Malandro!

  3. Silveira Neto disse:

    North Shopping, a favela de mármore.

    Eu desafio qualquer arquiteto a desenhar uma planta daquilo. A complexidade excederia qualquer intelecto.

    É bizarro andar por lá, só na necessidade mesmo. Já fiquei perdido várias vezes, escadas rolantes que caem dentro de lojas, becos sem saídas, etc. Não seria um surpresa pra mim achar alguém que vive lá a anos, preso, sem conseguir voltar pra casa, comendo em fast-foods e dormindo em lojas de colchão… 😛

  4. dadys disse:

    gato, eu te entendo. o ns é muito fim de carreira!

    deu pelo menos pra comprar um presente bacana?

    hehe

    bjo e feliz ano novo.

  5. flor disse:

    eu concordo plenamente com Silveira Neto. Esse Shopping é um verdadeiro labirinto. Uma vez, eu tentei por várias vezes entrar nas lojas americanas e não consegui… Outra vez foi quando deixei meu carro o E-4. Foi um verdadeiro horror pra eu encontrar a porta que mim levasse até lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.