Enjoy the silence

"Pra pedir silêncio eu berro
Pra fazer barulho eu mesmo faço"

(Rita Lee, em Jardins da Babilônia)

Tenho tido um apreço especial pelo silêncio nos últimos tempos. A coisa que mais quero, no fim de um dia, é silêncio. Se eu quiser barulho, eu ligo o som ou vou pra algum canto que tenha barulho. Mas eu queria, às seis da noite, ter o direito ao silêncio. À paz. Nada de gente gritando, nada de música alta na frente de casa. O direito a escolher o silêncio, o amado silêncio, o sossego, ou o barulho. Não tenho. Ontem tentei dormir imaginando eu quebrando o som do cara duma casa aqui da frente que tava tocando música brega. Eu sonho com o dia em que chegarei em casa no fim de um dia cansativo, entrarei no meu apartamento silencioso, onde eu possa ler um livro com tranquilidade, dormir, ver televisão, dormir, sem ninguém enchendo.

14 thoughts on “

  1. exestem poucas coisas melhores que o silêncio. e a medida em que a gente vai ficando mais velho, é que vai percebendo a importância da palavra não-dita.um beijo, cocoto.

  2. é como eu digo, estamos velhos (mesmo).pq vc não compra um cel da claro?haoiehae…não resisti e lembrei da propaganda -.-enfim, vamos procurar um azilo com ambiente tranquilo e tal.ou uma cova.é…paz. (:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.